domingo, 19 de março de 2017

Ballet "Pedro e o Lobo"

Alguns fascículos da coleção russa de "O Melhor do Ballet" disponibilizaram DVDs com dois espetáculos. É o caso da edição 14, que tem peças compostas por Sergei Prokofiev. Mas, por razões que vocês vão entender no próximo post, hoje vou compartilhar apenas um dos vídeos: uma versão rara de Pedro e o Lobo, com intepretação do Bolshoi. O único porém é que, por ser uma versão muito antiga, boa parte da gravação ficou perdida. Mas não dá para deixar de conferir essa relíquia...
Pedro e o Lobo
Companhia: The Bolshoi Ballet
Ano: 1964
Bailarinos Principais:
Yuri Vyrenkov como Pedro
Vladimir Levashev como Lobo
Tamara Tuchnina como Pássaro
Antonina Chinkina como Pato
George Bovt como Gato
Nikolai Leonov como Avô
Links:
https://mega.nz/#F!QoYniRrQ!4j8d6A0fFALakBsksivd3g

Formato do Vídeo: .mp4

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

domingo, 12 de março de 2017

Ballet "Raymonda"

Acharam que não ia ter vídeo novo hoje?
Pois bem... vamos dar prosseguimento à nossa série de postagens com o fascículo nº 12 da edição russa da coleção "O Melhor do Ballet", com uma rara montagem de Raymonda datada de 1974, interpretada pelo Bolshoi. Mas não se trata da montagem de Yuri Grigorovich.
Aliás, sobre Raymonda, eu tenho uma curiosidade para compartilhar. Vocês devem se lembrar que, em janeiro, eu participei de uma Mesa Redonda com a ilustre presença da historiadora da dança Eliana Caminada. O foco era o ballet O Lago dos Cisnes, mas é claro que outras peças também entraram na dança. Outro dia, eu contei para vocês o que foi falado lá sobre A Bela Adormecida. Raymonda também não ficou de fora da discussão e a dona Eliana nos deu um novo olhar sobre essa peça que eu nem podia imaginar...
Basicamente, Raymonda é uma história que se passa na época da Quinta Cruzada, que aconteceu no século XIII e foi chefiada pelo rei húngaro André II. O enredo é até bastante simples: fala sobre dois homens que disputam o amor de uma jovem: um cavaleiro que lutas nas cruzadas (noivo da protagonista) e um cavaleiro sarraceno, que se apaixona perdidamente por ela. Mas, vocês já pararam para notar que, em vários momentos, as coreografias meio que se desenvolvem independente de ter uma história como base? Pois é, isso não é impressão... Segundo a dona Eliana, o último grande trabalho de Marius Petipa já era um princípio do que, mais tarde, viria a ser o Neoclassicismo, movimento que ganhou força no século XX graças à George Balanchine. Talvez, seja por isso que o enredo de Raymonda não seja lá tão empolgante... Mas, ainda assim, vale conferir esse belo espetáculo!
Raymonda
Companhia: The Bolshoi Ballet
Ano: 1974
Bailarinos Principais:
Nina Timofeyeva como Raymonda
Nikolai Fadeyechev como Jean de Brienne
Andrey Kondratov como Abderakhman
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-SquTzuf6B7W7NZw8oa

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

sexta-feira, 10 de março de 2017

Ballet "Coppélia"

Depois de um post para lá de especial na quarta-feira, voltamos hoje com os DVDs da série "O Melhor do Ballet - Rússia". Nós vamos para o fascículo 10, com uma montagem de Coppélia dos anos de 1980 encenada pelos alunos do Bolshoi Ballet Academy. Quem me ajudou com o vídeo de hoje foi meu grande amigo Bruno Alves.
Coppélia
Companhia: The Bolshoi Ballet Academy
Ano: 1987
Bailarinos Principais:
Galina Stepanenko como Swanilda
Aleksandr Malihin como Franz
Vytautas Taranda como Dr. Coppélius
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-Sqtz7747-JynZgWI6b

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

quarta-feira, 8 de março de 2017

A Mulher e o Ballet

O post de hoje tem o intuito de celebrar não só o Dia Internacional da Mulher, mas também a nova parceria do Vídeos de Ballet Clássico com o Mundo Bailarinístico. Criado por Dryelle Almeida em 2013, o blog era, a princípio, uma extensão das aulas que dava para suas alunas. O intuito era compartilhar esse conteúdo com o maior número possível de pessoas. A partir daí, ela começou a reunir o máximo de informações bailarinísticas em um só lugar, com o objetivo de ser uma referência no assunto.

Para começar essa parceria com o pé direito, compartilho com vocês um texto que ela escreveu sobre a trajetória de várias bailarinas e como cada uma, à sua maneira, marcou a história do Ballet.

Seja bem-vinda Dryelle! Afinal de contas, o Ballet nos uniu^^


Por Dryelle Almeida




Hoje meu post foi pensado para homenagear todas as Mulheres do Mundo Bailarinístico mostrando o papel feminino na história do Ballet, lembrando como algumas bailarinas em especial foram marcantes e tiveram seus nomes eternizados no mundo do ballet clássico e nas danças.





Historicamente
A história do ballet começou há 500 anos atrás na Itália. Nessa época os nobres italianos divertiam seus ilustres visitantes com espetáculos de poesia, música, mímica e dança. Quando a italiana Catarina de Medicis casou com o rei Henrique II e se tornou rainha da França, introduziu esse tipo de espetáculo na corte francesa, com grande sucesso. O mais belo e famoso espetáculo oferecido na corte desses reis foi o "Ballet Cômico da Rainha", em 1581, para celebrar o casamento da irmã de Catarina. Esse ballet durava de 5 a 6 horas e fez com que rainha fosse invejada por todas as outras casas reais européias, além de ter uma grande influência na formação de outros conjuntos de dança em todo o mundo.

Porém quando a dança se tornou mais que um passatempo da corte, se tornou uma profissão e os espetáculos de ballet foram transferidos dos salões para teatros. Em princípios, todos os bailarinos eram homens, que também faziam os papéis femininos, mas no fim do século XVII, a Escola de Dança passou a formar bailarinas mulheres, que ganharam logo importância, apesar de terem seus movimentos ainda limitados pelos complicados figurinos.

Uma das mais famosas bailarinas foi Marie Camargo, bailarina belga, responsável por muitas mudanças técnicas e de estilos no ballet. Causou sensação por encurtar sua saia, tirou os saltos dos sapatos de balé, facilitando assim a execução de saltos mais complicados. Com o desenvolvimento da técnica da dança e dos espetáculos profissionais, houve necessidade do ballet encontrar, por ele próprio, uma forma expressiva, verdadeira, ou seja, dar um significado aos movimentos da dança.
Assim no final do século XVIII, um movimento liderado por Jean-Georges Noverre, inaugurou o "Ballet de Ação", isto é, a dança passou a ter uma narrativa, que apresentava um enredo e personagens reais, modificando totalmente a forma do Ballet de até então. O Romantismo do século XIX transformou todas as artes, inclusive o ballet, que inaugurou um novo estilo romântico onde aparecem figuras exóticas e etéreas se contrapondo aos heróis e heroínas, personagens reais apresentados nos ballets anteriores.

Esse movimento é inaugurado pela bailarina Marie Taglioni, portadora do tipo físico ideal ao romantismo, para quem foi criado o ballet "A Sílfide", que mostra uma grande preocupação com imagens sobrenaturais, sombras, espíritos, bruxas, fadas e mitos misteriosos: tomando o aspecto de um sonho, encantava a todos, principalmente pela representação da bailarina que se movia no palco com inacreditável agilidade na ponta dos pés, dando a ilusão de que saía do chão.
Foi "A Sífilde" - o romantismo - o primeiro grande ballet romântico que iniciou o trabalho nas sapatilhas de ponta. Outro ballet romântico, "Giselle", que consagrou a bailarina Carlota Grisi, foi a mais pura expressão de período romântico, além de representar o maior de todos os testes para a bailarina até os dias de hoje.

As primeiras sapatilhas tinham as pontas terrivelmente pesadas para permitir que a bailarina ficasse na ponta dos pés facilmente e aparentasse leveza. Mais tarde ela foi convertida na atual constituição, onde uma “caixa” abriga a ponta dos pés da bailarina e lhe dá suporte para manter o equilíbrio.
Com o aperfeiçoamento das danças nas pontas, as mulheres começaram a ficar mais populares do que os homens nos países do ocidente europeu. Mas na Rússia e Dinamarca, países onde o ballet ainda era sustentado pelos palácios reais, os homens cresciam junto com as mulheres.

O período Romântico na Dança, após algum tempo, empobreceu-se na Europa. Isso porém, não aconteceu na Rússia. As companhias do ballet Imperial em Moscou e São Petersburgo (hoje Leningrado), foram reconhecidas por suas soberbas produções e muitos bailarinos e coreógrafos franceses foram trabalhar com eles. O centro mundial da dança transferiu-se de Paris para São Petersburgo. E em 1847, o francês, Marius Petipa, fez uma viagem à Rússia e coreografou célebres ballets. Cada ballet continha danças importantes para o Corpo de Baile, variações brilhantes para os bailarinos principais e um grande pas-de-deux para primeira bailarina e seu partner.
A primeira bailarina executa essencialmente os primeiros papéis no repertório de uma companhia de bailado. Pode também designar-se Primeira Bailarina - o nível mais alto a atingir pelos bailarinos na hierarquia.

Nos anos 90 do séc. XIX apareceram três pessoas que, simultaneamente, deram um novo interesse para o ballet na Europa e América: Enrico Cecchetti, Sergey Diaghilev e Agrippina Vaganova.
Vaganova foi aluna de Cecchetti e Petipa. Nos anos 20 e 30 do século XX, passou a trabalhar um método próprio de ensino da dança clássica, mesclando os conhecimentos dos seus mestres, redigindo-o no livro “Fundamentos da Dança Clássica”. Em 1935, seguindo ordens governamentais, Vaganova modificou o final trágico do Lago dos Cisnes por um sublime. No início do século 20, as pessoas começaram as se cansar das ideias e princípios do ballet, conforme Petipa, e buscavam novas ideias. O ballet russo, nessa altura, já era mais famoso que o francês e alguns bailarinos já tinham fama internacional, a mais famosa daquele período, provavelmente, era Anna Pavlova.

Anna Pavlova, que saiu do Ballet Russes um ano após a sua criação, fundou sua própria companhia sediada em Londres e veio ao Brasil em 1918, 1919 e em 1928.
Nessa mesma época, em reação aos limites formais e severos da dança clássica, acentuando a liberdade e expressão dos movimentos, surge uma nova tendência da dança, a Moderna. Ela surgiu simultaneamente nos Estados Unidos e Alemanha. As primeiras grandes representantes foram Loie Fuller, Isadora Duncan e Ruth St. Denis.

Marta Graham surge com ideias inovadoras e, em 1926, funda a sua companhia, a mais antiga companhia de dança dos Estados Unidos. Pode-se dizer, figurativamente, que ela é a responsável por trazer a arte da dança para o século XX. Dentre as suas inovações, a consciência de que a respiração está diretamente ligada à expressividade do movimento e o trabalho com o chão.

Na segunda metade do século XX, a alemã Pina Bausch também dá novos rumos para a dança, inclusive na maneira de criar/coreografar, tirando os movimentos do cotidiano da história de vida de cada um dos seus alunos.

No Brasil, o balé clássico teve seu primeiro impulso significativo quando das visitas ao país de companhias internacionais de renome, como a de Diaghilev (1913 e 1917) e Ana Pavlova e seu corpo de baile (1918 e 1919). Neste período, Maria Olenewa, solista de Pavlova, permaneceu no Rio de Janeiro, pretendendo introduzir o ensino do ballet clássico em moldes avançados. Este objetivo foi alcançado efetivamente em 1927 ao surgir uma escola de bailado sob sua direção no Teatro Municipal. Em 1930 a escola foi oficializada e surgiu o Corpo de Baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Além de todas essas bailarinas citadas nesse resumo histórico bailarinístico, temos que destacar outras tantas que também tiveram enorme relevância para nossa arte. Convido a você a lerem mais sobre grandes nomes do Ballet – clicando aqui. Também faço o convite para lerem entrevistas exclusivas com mulheres reconhecidas pela sua dança no Brasil – clicando aqui.

Foram tantas conquistas, a ideia desse post não foi dizer que o ballet é coisa de menina, mas sim destacar o papel de tantas mulheres que se destacaram e foram felizes dançando.

Fontes:
Mundo Dança
Wikipédia
Wikidança
I love Ana Botafogo

Vem comemorar o dia da Mulher com a gente

http://www.mundobailarinistico.com.br/2017/02/dia-da-mulher-aniversario-do-ballet.html

domingo, 5 de março de 2017

Ballet "A Bela Adormecida"

Quando tem transmissão no cinema, eu tenho que compartilhar independente da circunstância! Até porquê esse título é um dos mais pedidos!!! Não o repertório em si, mas a bailarina que o interpreta. Sim, no dia 28 de fevereiro, o Royal Ballet transmitiu ao vivo A Bela Adormecida com Marianela Nuñez! A única coisa é que ela não dança com o Thiago Soares, como muitos já me pediram, mas só de ter ela no papel principal já é um grande presente!
E presente maior do que esse só mesmo saber que as nossas brasileiras na Royal aparecem em maior destaque nessa apresentação! Mayara Magri, Letícia Stock e Isabella Gasparini dançam juntas no primeiro ato como amigas de Aurora. No terceiro, Mayara dança as Pedras Preciosas (segundo solo - Fada Diamante) e Letícia interpreta a Gata Branca. É ou não é pra sentir orgulho?
Sem mais delongas... divirtam-se!
A Bela Adormecida
Companhia: The Royal Ballet
Ano: 2017
Bailarinos Principais:
Marianela Nuñez como Princesa Aurora
Vadim Muntagirov como Príncipe Désiré
Claire Calvert como Fada Lilás
Kristen McNally como Carabosse
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-Sqwyd8iwKEDsr-o-Hv

Formato do Vídeo: .avi

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

quarta-feira, 1 de março de 2017

Ballet "A Sílfide"

Começo a postagem de hoje com uma notícia maravilhosa: enfim, depois de alguns meses, eu consegui finalizar a troca de servidor! Sim, todos os vídeos agora estão ativos e em perfeito funcionamento! Foi um período difícil... Houve quem achasse que os vídeos do blog estavam perdidos, mas eu nunca desisti do projeto e aqui estamos! A partir de agora, o foco são apenas as postagens inéditas e, acreditem, tem muitas novidades vindo por aí... Muito obrigada a todos que me acompanham por terem tido paciência e pelo carinho!
E para continuar a nossa saga em grande estilo, vamos para o quinto post da série "O Melhor do Ballet - Rússia" com o fascículo nº 09: A Sílfide, com o Mikhailovsky Ballet.
A Sílfide
Companhia: The Mussorgsky Ballet/Mikhailovsky Ballet
Ano: 1978
Bailarinos Principais:
Tatyana Fesenko como A Sílfide
Anatoly Sidorov como James
Alla Malysheva como Effie
Pavel Stalinsky como Gurn
Alexandra Malgina como A Feiticeira
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-Sqtzv-6psHNaUZMGiy

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Ballet "Don Quixote"

Neste domingo de Carnaval, deixo para vocês a alegria de Don Quixote e seu escudeiro Sancho Pança. A montagem de hoje é o sétimo fascículo da edição russa da coleção "O Melhor do Ballet", sendo o quarto post dessa série. A interpretação fica por conta dos bailarinos do Bolshoi. Vamos lá?
Don Quixote
Companhia: The Bolshoi Ballet
Ano: 1978
Bailarinos Principais:
Nadezhda Pavlova como Kitri
Vyacheslav Gordeev como Basil
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-SqrRaxXj7LBqb5xxuc

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Ballet "Anna Karenina"

Prontos para o terceiro post da edição russa da coleção "O Melhor do Ballet"? Então, hoje, confiram o DVD que saiu no fascículo número 05: Anna Karenina. Nessa versão, que existe a venda pelo selo VAI Music, nós temos a chance de ver como a coreografia de Maya Plisetskaya ficou configurada no palco, visto que a montagem de 1974 é em formato de filme. Curiosos? Então, bom espetáculo!
Anna Karenina
Companhia: The Bolshoi Ballet
Ano: 1980
Bailarinos Principais:
Maya Plisetskaya como Anna Karenina
Mikhail Petukhov como Vronsky
Victor Barykin como Karenin
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-SqrRUSYiBmj94SYiqX

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Ballet "Giselle"

Antes de começar, eu tenho uma excelente notícia para vocês: faltam apenas 10 vídeos para trocar de servidor!!! Sim, foi um período difícil o que enfrentamos, mas estamos a um passo de concluir mais essa etapa. Agradeço, de coração, à todos que tiveram paciência...
E no post de hoje, vamos seguir adiante com o quarto fascículo da edição russa da coleção "O Melhor do Ballet": Giselle em uma rara interpretação do Kiev Ballet, datada de 1979. Vamos lá?
Giselle
Companhia: The Kiev Ballet/Ukraine Opera Ballet
Ano: 1979
Bailarinos Principais:
Tatyana Tayakina como Giselle
Valery Kovtun como Albrecht
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-SqqjQ3TEWdbsH17uql

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Ballet "Romeu e Julieta"

No post de hoje, começaremos uma nova série de DVDs. Alguém aqui já ouviu falar da coleção "O Melhor do Ballet"? Ela foi lançada no Brasil em 2008 pela Planeta de Agostini e assinada pela bailarina Ana Botafogo, a coleção era distribuída quinzenalmente nas bancas de jornal e teve 40 fascículos (no total, 41 DVDs). O fato é que essa coleção já passou por vários países e, é claro, a Rússia não poderia ficar de fora. Nossos colegas do Kirov e Bolshoi tiveram 10 fascículos a mais que a edição brasileira. Alguns desses DVDs foram lançados no mercado internacional e estão disponíveis aqui no blog para download:

01. O Lago dos Cisnes
02. O Quebra-Nozes
06. A Bela Adormecida
08. La Bayadère
11. Cinderella
13. Espártaco
25. A Flor de Pedra
39. The Fairy Doll

Mas, há versões lançadas nessa coleção que são verdadeiras relíquias, muitas disponíveis apenas em território russo. Vários desses DVDs eu consegui para compartilhar com vocês!
Para começar, vamos para a edição número três: Romeu e Julieta montado em 1976, por ocasião do aniversário de 200 anos do Teatro Bolshoi. A única observação que faço é que, infelizmente, o vídeo sofreu várias perdas devido a fragilidade do material usado para a gravação na época. Espero que gostem^^
Romeu e Julieta
Companhia: The Bolshoi Ballet
Ano: 1976
Bailarinos Principais:
Natalya Bessmertnova como Julieta
Mikhail Lavrovsky como Romeu
Yuri Papko como Mercutio
Vladimir Levashev como Teobaldo
Links:
https://1drv.ms/f/s!Ar6VXXHgq-SqqjP9g1YoYE8num3z

Formato do Vídeo: DVD

Aplicativos Úteis: Clique Aqui!